O Senhor é minha luz

O Senhor é minha luz

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?”, Sal.27:1

“O Senhor é a minha luz e salvação”. Eis aqui um interesse que parece pessoal: “minha luz” e “minha salvação”. A alma se assegura dela e por essa razão declara a verdade.

A luz raia para dentro da alma para o novo nascimento se dar como percursor da salvação.

Onde não existe luz suficiente para iluminar todas as nossas trevas e para nos tornar desejosos do Senhor Jesus, não existe qualquer evidência de qualquer salvação.

Após a conversão, o nosso Deus se torna a nossa alegria, conforto, guia, instrutor e em todos os sentidos a nossa única luz possível.

Ele é luz dentro da alma revelando Jesus, luz fora dela, luz que reflete de dentro para fora também, mostrando e revelando como Ele é.

Note-se que, não se afirma aqui apenas que o Senhor reflete luz, mas que Ele é que é a luz.

Também lemos que Ele é essa salvação e não que tem salvação. Todo aquele que através dessa fé se apodera deste pacto eterno, obterá todas as regalias duma salvação eterna.

Isto havendo sido tornado um fato assumido, um argumento sério é colocado em forma de pergunta: “Aquém temerei?”

Esta é uma pergunta que responde e corresponde ao mesmo tempo.

Os poderes das trevas não são de se temer, pois o Senhor que é nossa luz as destrói por inteiro.

Pela mesma razão, as influências do inferno já não são algo a nos provocar medo, pois é o Senhor quem é nossa salvação.

Esta afirmação é muito distinta da presunçosa ironia dum Golias que se exalta a si mesmo e depende do conceito de vigor da carne do seu próprio braço, pois baseia-se no poder dum omnipotente “Eu sou” para sempre.

“O Senhor é a força da minha vida”. Eis aqui uma terceira afirmação correta, para revelar e manifestar a esperança do escritor deste Salmo num triângulo de verdade inquebrável.

Podemos até acumular muito mais terminologia que exale louvor a este Senhor de toda a graça.

Nossa vida deriva duma força real na autoridade de Deus. E caso Ele nos torne fortes e fortalecidos, nunca poderemos ser tornados fracos por nenhum mecanismo do adversário.

“”De que me recearei?” Esta pergunta audaz olha para a questão de forma real, pois afirma apenas que “se Deus é por nós, quem será contra nós” agora ou em tempos vindouros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.