Regeneração, Arrependimento e Fé

Regeneração, Arrependimento e Fé

 

 

 

Como a fé e o arrependimento acontecem visto que o homem natural é incapaz de criar um pensamento reto, gerar uma afeição correta e originar uma volição certa (Romanos 3:11, 8:7; João 3:3, 6)

Quando falada no poder do Espírito Santo, a Palavra de Deus tem o poder de abrir graciosamente os olhos das pessoas, abrir os seus ouvidos incircuncisos, mudar a disposição de seus corações, trazê-los à fé e salvá-los (Tiago 1:8; 1 Pedro 1:23,25).

 

A palavra de Deus não opera “ex opere operato“, antes, é a obra do Espírito Santo soberanamente dispensando graça (João 3:8) que vivifica o coração através da Palavra para produzir vida. Assim, a Palavra escrita não é o material do novo nascimento espiritual, mas sim o seu meio ou instrumento.

“A palavra não é o princípio causativo em si, mas somente o que por ela opera: o veículo do misterioso poder germinativo” [ALFORD]. É porque o Espírito de Deus a acompanha que a Palavra carrega em si o germe da vida. A vida está em Deus, todavia, ela nos é comunicada através da Palavra.

 

O evangelho declara que o arrependimento e a fé (mandamentos de Deus) são ambos obras de Deus em nós e não algo que o pecador por si mesmo contribui para a sua própria salvação; eles não são a parte do pecador para a salvação de Deus.

 

Deus é quem opera em nós tanto o querer como o efetuar; Ele é o autor e consumador de nossa fé; é a Sua bondade que nos conduz ao arrependimento (2 Timóteo 2:25; Efésios 2:5,8; Hebreus 12:2; Romanos 2:4). O arrependimento e a fé podem ser exercidos por uma alma somente após, e numa consequência imediata, sua regeneração pelo Espírito Santo (1 João 5:1; Atos 16:14b; Atos 13:48; João 10:24-26; Ezequiel 36:26-27; João 6:37; João 1:13; 1 Coríntios 4:7; 1 Coríntios 15:10; Tiago 1:17; João 3:27).

 

Deus regenera, e nós, no exercício da nova e graciosa capacidade nos dada, nos arrependemos. Deus desarma a oposição do coração humano, subjugando a hostilidade da mente carnal e com um poder irresistível (João 6:37), traz os Seus escolhidos para Cristo. O evangelho confessa que “nós o amamos porque Ele nos amou primeiro“. Enquanto que antes não tínhamos nenhum desejo por Deus, a Graça regenerativa de Deus nos dá desejo, disposição e deleite em Sua pessoa e mandamentos. Fé e obras são as evidências do novo nascimento, não a causa dele.

http://www.monergismo.net.br/distintivos.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.